Amazonas: acordo prevê divisão igual de oxigênio para hospitais de Manaus e do interior

White Martins, única fabricante de oxigênio no Estado, fechou termo de compromisso sobre a distribuição local de oxigênio
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

Uma reunião neste domingo, 17, entre membros do governo do Amazonas, promotores de comarcas do interior e técnicos da White Martins, única fabricante de oxigênio no Estado, fechou termo de compromisso sobre a distribuição local do insumo. Todo o gás que chegar em Manaus – do Ministério da Saúde, comprado pelo governo, produzido no Estado ou vindo de doações – será dividido de forma equânime com capital e interior.

Na semana passada, o governo estadual chegou a sugerir à prefeitura de Itacoatiara, a 269 quilômetros da capital, a abertura de valas, diante da dificuldade de enviar oxigênio. Nos hospitais do interior, os relatos eram de sobrecarga e uso até de aparelhos de inalação para ajudar pacientes.

“Todas as entradas de oxigênio deverão ser disponibilizadas em um site com acesso a todos nós, e também sugerimos que seja aberto à imprensa”, defendeu o promotor de Justiça Carlos Firmino, das comarcas de Autazes e Urucará, municípios a cerca de 300 quilômetros de Manaus.

Neste domingo, o governo estadual prorrogou decreto que determina lockdown no comércio e toque de recolher entre 19h e 6 horas até 31 de janeiro em todos os 62 municípios do Amazonas. Só podem funcionar serviços considerados essenciais, como supermercados e farmácias.

A promotora de Manacapuru (a 100 quilômetros de Manaus), Lilian Almeida, disse que a escassez do oxigênio no município continua e muitos internados correm risco de vida.

“Segundo o compromisso assumido, esse mecanismo de controle deverá garantir prioridade especialmente às cidades que são polos, como Manacapuru (que atendem diversos municípios onde o acesso é apenas de barco ou canoa). Foi uma evolução mínima esse termo de compromisso, mas precisamos continuar cobrando”.

Segundo a Secretaria de Saúde do Amazonas, o montante que efetivamente de oxigênio que chegou ao Amazonas desde o dia 14 de janeiro até esse sábado, 16 equivale a 866 cilindros de 10 metros cúbicos, de forma líquida e gasosa. Na madrugada de domingo chegaram  70 mil metros cúbicos de oxigênio líquido que, segundo a Susam, “será distribuído entre unidades da capital e interior do Estado, conforme necessidade de estoque de cada unidade”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print