Com 306 mil doses, Amazonas começa a vacinar hoje; bebês conseguem oxigênio

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), afirmou hoje que o estado receberá 306 mil doses da vacina CoronaVac e – com atraso em relação a outros estados – começará a vacinar ainda hoje. O governador afirmou ainda que os recém-nascidos não precisaram ser transferidos de estado após a garantia de oxigênio para eles, conforme a reportagem publicada pela UOL.

“Ontem fui fazer uma vistoria na nossa FVS (Fundação de Vigilância de Saúde). Assim que a vacina chegar, nós estaremos preparados para começar o processo de imunização”, afirmou o governador após evento com o ministro Eduardo Pazuello (Saúde) e outros governadores no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

O encontro serviu para anunciar o envio dos imunizantes para os estados e a antecipação da imunização para hoje. Embora Pazuello tenha marcado o início da vacinação para “o final do expediente”, por volta das 17h, Wilson Lima acredita que a imunização só começará no estado depois desse horário em razão da distância entre São Paulo e Manaus.

“Será, em média, 5 horas de voo em um cargueiro. Imagino que no final da tarde as doses já estarão no estado do Amazonas e nossa meta é começar a vacinar ainda hoje”, disse.

Com doação do estado de São Paulo, o Amazonas receberá hoje 306 mil doses. “São 256 mil doses do governo federal mais 50 mil sendo doados pelo governo de São Paulo, anunciado ontem pelo governador João Doria“, disse.

Bebês recebem oxigênio

Ainda segundo o governador, a disponibilidade de oxigênio “já começou a encontrar estabilidade na capital”.

“A gente ainda tinha na madrugada de hoje alguns municípios que inspiravam cuidados, e começou a regularizar, mas a gente ainda trabalha contra o tempo para que todos os hospitais (…) tenham oxigênio. A creditamos que nos próximos dias (…) a gente consiga estabilidade”, afirmou.

Questionado sobre os recém-nascidos, Lima afirmou que eles não precisaram ser transferidos para outro estado depois da reposição do estoque de oxigênio.

“Os bebês continuam no estado do Amazonas, conseguimos oxigênio para eles”, concluiu.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print