Conselho emite nota defendendo abertura de atividades em academias, no AM

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

Governo do Estado suspendeu, nesta terça-feira (12/01), os serviços de transporte fluvial e rodoviário em todo o Amazonas, além do funcionamento de marinas e academias. A decisão é uma das medidas para conter o avanço da Covid-19 no estado até o dia 17 de janeiro, obedecendo decisão liminar do dia 2 de janeiro.

O Conselho Regional de Educação Física (CREF) da 8° Região emitiu nota contra a decisão do Governo. Segundo o Conselho, não houve diálogo apesar dos profissionais terem se colocado à disposição e afirmam que as academias cumprem com os protocolos de segurança.

Diversos estudos destacam que as academias e similares, que seguem os protocolos de higiene e prevenção, são sim lugares seguros para clientes e funcionários, e geram diversos benefícios, como o fortalecimento do sistema imunológico, redução dos riscos cardiovasculares, combate a depressão, melhora do sistema circulatório, entre outros.

A medida anunciada pelo Governo do Estado, nesta terça-feira, suspende  os serviços de transporte fluvial e rodoviário, mantendo apenas o transporte de cargas. A decisão também acrescenta que está proibida a atividade de marinas para o lazer e inclui empresas de segurança privada como serviço essencial, logo, com o funcionamento autorizado.

Confira a nota completa

Na tarde de terça-feira, dia 12 de janeiro, o Governo do Amazonas editou um novo decreto que estabelece o fechamento de academias e similares no Estado, não abrindo diálogo, não escutando especialistas da área. Mesmo após termos nos colocado à disposição através de ofícios durante o período em que o setor esteve fechado nos meses de março a junho.

Diversos estudos destacam que as academias e similares, que seguem os protocolos de higiene e prevenção, são sim lugares seguros para clientes e funcionários, e geram diversos benefícios, como o fortalecimento do sistema imunológico, redução dos riscos cardiovasculares, combate a depressão, melhora do sistema circulatório, entre outros.

Atualmente o Amazonas possui mais de 400 empresas prestadoras de serviço de atividades físicas e mais de 6 mil Profissionais de Educação Física registrados, que geram empregos e renda, e que no ano passado sofreram com o fechamento de seus locais de trabalho durante um grande período.

Fechar novamente esses estabelecimentos significa um retrocesso gravíssimo para o setor, que tentava se reerguer nos últimos meses. Além disso, deixará milhares de amazonenses sem espaço para a prática de atividade física segura e com orientação profissional.

Esperamos que o Governo do Amazonas tenha bom senso, reveja o seu posicionamento e mantenha as academias e similares abertas, atendendo e proporcionando saúde ao povo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print