Covid-19: MP apura falta de oxigênio nas unidades hospitalares de Manaus

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print
Foto: arquivo MPAM

O Ministério Público do Amazonas (MPAM), por intermédio da 70ª Promotoria de Proteção do Patrimônio Público, abriu procedimento para apurar a situação real da disponibilização de oxigênio para fins hospitalares nas unidades de Saúde do Estado. O Promotor titular da 70ª PPP, Edgard Rocha, informou que, nesta terça-feira (12/01), expediu ofícios para a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e empresas privadas que fornecem o produto para as redes pública e particular para que, no prazo de 24 horas, prestem informações sobre o assunto.

A apuração sobre falta de oxigênio nas unidades hospitalares da capital é oriunda de denúncias que o Ministério Público recebeu, tendo sido transformadas em uma Notícia de Fato. Esse já é um dos procedimentos do Grupo de Trabalho criado para acompanhar e fiscalizar o Plano Estadual e Municipal de Combate ao COVID-19 e coordenar e articular as medidas em resposta às demandas relacionadas à emergência de saúde pública. O GT do MPAM também se reuniu, ontem e hoje, com a respectivas direções dos hospitais particulares de Manaus.

O grupo, presidido pela Procuradora de Justiça Silvana Nobre de Lima Cabral (foto), também está acompanhando de perto a execução do Plano de Contingência do Estado no Combate ao Coronavírus, assim como a formulação do Plano de Imunização, na ocasião em que for instituído pelo Poder Executivo. O Grupo também é formado pelos Promotores de Justiça: Cláudia Maria Raposo da Câmara, Edílson Queiroz Martins, Lincoln Alencar de Queiroz, Delisa Olívia Vieiralves Ferreira, Mirtil Fernandes do Vale, Antônio José Mancilha, Sheyla Andrade dos Santos, Vítor Moreira da Fonseca e Renata Cintrão Simões de Oliveira.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print