Delegacia de Homicídios prende PM suspeito de matar trans; familiares protestam, em Manaus

Segundo o delegado, a suspeita é que Jeremias tenha se desentendido com Manuella, morta com um tiro no peito. A vítima era atriz e professora.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print
Segundo a DEHS, a suspeita é que Jeremias tenha se desentendido com Manuella, morta com um tiro no peito (Foto: Reprodução)

O policial militar Jeremias da Costa Silva foi preso, ontem, dia 18, por policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). A prisão ocorreu em cumprimento a um mandado judicial por suspeita de envolvimento dele na morte da transsexual Manuella Otto, 25. A vítima foi encontrada morta, no último dia 13/2, em um quarto de motel, na zona Norte de Manaus.

Conforme a Polícia Civil, a ordem judicial contra o policial foi expedida ainda na quinta-feira. O mandado foi cumprido no momento em que o suspeito foi apresentado na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

A Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança informa que abriu um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) em desfavor do suspeito. A DEHS não informou se o suspeito confirmou autoria do crime e nem qual foi a motivação para o assassinato.

 

blank

Protesto

Em frente à delegacia, familiares, amigos e representantes da comunidade LGBT protestaram contra a morte de Manuella, cobrando a punição do policial. “Nós tivemos que nos manifestar para pedir justiça, para pedir que esse crime não fique impune. A polícia prende, mas a Justiça solta. Esse é o nosso objetivo, por isso estamos aqui!”, disse Bruna La Close, presidente da Parada do Orgulho LGBT Manaus.

“Vamos prender, vamos condenar e vamos expulsar! Porque uma pessoa como essa não merece estar num corporativo como esse, onde trabalha a questão da segurança da população”, disse La Close.

A Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança informa que abriu um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra o policial militar.

O crime

A professora foi encontrada morta no último sábado, dia 13, dentro do Motel Minha Pousada, situado na Avenida Samauma, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus.

Jeremias é suspeito de ter matado a vítima à tiros. No momento da fuga, ele teria ameaçado os funcionários do local por terem tentado impedir sua saída fechando o portão.

Câmeras de vigilância do estabelecimento filmaram o momento em que o policial saiu do local ao arrancar o portão. Com uma camisa amarrada na cabeça ainda tentou esconder o rosto.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print