Fake news sobre vacinas são casos de polícia, diz coordenador de testes do imunizante da Pfizer

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

O coordenador dos testes da vacina Pfizer/BioNtech no Brasil, Cristiano Zerbini, fez um apelo neste domingo, dia 3, pelo fim da disseminação de notícias falsas sobre os imunizantes contra a Covid-19.

“Vacinar-se é um ato de solidariedade com a humanidade. As pessoas que divulgam fake news cometem um crime. É caso de polícia, não de opinião. É crime ir contra as vacinas, porque estão fazendo mal a todas as crianças, adolescentes e adultos. Precisamos nos vacinar”, afirmou Zerbini em entrevista à CNN Brasil.

“A única forma de se adquirir a imunidade comunitária é a vacina. Ou vacinar, ou morrer metade da população, o que é inaceitável. Precisamos ter a vacina grátis para todos via SUS [Sistema Único de Saúde]”, completou.

Neste fim de semana, Pfizer e BioNtech informaram que vão garantir a voluntários que receberam placebo em testes a oportunidade de receber a vacina contra a Covid-19.

“A vacinação dos voluntários que receberam placebo será realizada, de acordo com as resoluções dos órgãos brasileiros, em data a ser confirmada”, disse a Pfizer a CartaCapital.

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print