Feminicídio: PC prende homem que matou a companheira em Presidente Figueiredo (AM)

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

A Polícia Civil do Amazonas, por meio da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Rio Preto da Eva (distante 57 quilômetros em linha reta da capital), cumpriu na manhã de quinta-feira (12/11), em um sítio na BR 010, mandado de prisão preventiva em nome de Renan Silva da Rocha, 23, pelo crime de feminicídio contra a própria companheira, Elizeth Pereira de Moraes, que tinha 38 anos. O crime ocorreu na madrugada do dia 25 de julho, por volta das 3h, no Sítio São Sebastião, quilômetro 18 da rodovia AM-240, zona rural de Presidente Figueiredo (distante 107 quilômetros da capital).

O corpo da vítima foi encontrado em uma área de mata, nas proximidades da rodovia com diversos hematomas na região do rosto e manchas de sangue pelo corpo.

De acordo com o delegado Valdnei Silva, titular da DIP de Presidente Figueiredo, que investigava o caso, após ser informado sobre a prisão de Renan, efetuada pela equipe policial da DIP do município vizinho, ele se deslocou de imediato, juntamente com sua equipe, à Rio Preto da Eva para transferir o preso ao município onde o crime ocorreu.

“A Polícia Civil teve todo cuidado em cumprir a ordem judicial nesse período eleitoral. Nossa equipe de investigação certificou-se junto ao cartório eleitoral que Renan não possui título de eleitor, portanto ele não está amparado pela Lei 4.737 que institui o código Eleitoral, artigo 236, que ressalta que o eleitor não pode ser preso em período das eleições”, explicou Valdnei Silva.

O mandado de prisão preventiva contra o indivíduo foi expedido no dia 08 de julho deste ano, pelo juiz Roger Luiz Paz de Almeida, da Vara Única da Comarca de Presidente Figueiredo.

Procedimentos

Renan irá responder pelo crime de feminicídio. Após os procedimentos cabíveis, ele irá permanecer na carceragem da DIP de Presidente Figueiredo, à disposição da Justiça.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print