Governador renova protocolo de intenções com o Basa para destinar R$ 1,1 bilhão a projetos econômicos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

O governador Wilson Lima assinou, nesta segunda-feira (22/02), a renovação do protocolo de intenções com o Banco da Amazônia (Basa) para aplicação de recursos da ordem de R$ 1,1 bilhão em projetos da carteira comercial da instituição (comércio e serviço, indústria e infraestrutura) e na área da sustentabilidade, por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO).

A reunião ocorreu por meio de videoconferência com a participação do presidente do Banco da Amazônia, Valdecir Tose, dos secretários estaduais de Produção Rural (Sepror), Petrucio Magalhães, e da Casa Civil, Flávio Antony, e do presidente da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), Marcus Vinicius Castro, entre outros representantes do comércio e da indústria do Amazonas.

O Banco da Amazônia vai disponibilizar aos setores produtivos do Amazonas recursos financeiros de até R$ 1,1 bilhão, sendo R$ 894 milhões para crédito de FNO e R$ 256 milhões na carteira comercial. A novidade para este ano são as linhas de crédito para o FNO Verde, que visam fomentar a economia com o compromisso socioambiental, por meio de projetos de estímulo ao uso de sistemas agroflorestais e concessões públicas e parcerias público-privadas, e apoio a projetos ecologicamente inovadores.

“O Basa tem sido um banco que tem tido essa tradição, através do FNO e também de outras carteiras que estão sendo disponibilizadas. O protocolo que assinamos é de algo em torno de R$ 1 bilhão para financiamento dessas atividades, e o Estado do Amazonas, que tem essa preocupação no desenvolvimento, principalmente nesse momento, está trabalhando para criar todas as condições para que essas pessoas possam captar esses recursos junto a essa instituição financeira”, destacou o governador Wilson Lima.

Licenças ambientais

O governador também pontuou, durante a videoconferência, que vai encaminhar uma mensagem à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para a  flexibilização das dispensas de licença ambiental para que os agricultores familiares tenham acesso aos créditos de financiamento, nesse período da pandemia.

“Um dos grandes entraves que esses pequenos produtores têm é com relação à licença ambiental. Nós estamos encaminhando uma mensagem à Assembleia Legislativa para que haja a flexibilização da licença ambiental nesse período, em que a gente enfrenta esse momento de calamidade em razão da pandemia, e isso vai facilitar o acesso ao crédito tanto no Basa quanto na Fieam e em outras agências de banco de fomento”, explicou.

Anualmente, o Basa assina com os nove estados da Amazônia Legal o Protocolo de Intenções para aplicação de recursos do FNO, da carteira comercial e demais fontes de fomento. A proposta do Basa  é  viabilizar parcerias para a política de crédito, com todos os setores econômicos, e expandir o crédito para a Agricultura Familiar (especialmente nas linhas de Pronaf Eco, Mulher, Jovem, Mais Alimento e Agrofloresta), com qualificação e inovação, tendo a assistência técnica oficial do estado como a principal parceira.

Integração

O secretário titular da Sepror, Petrucio Magalhães, enfatizou as linhas de crédito para o FNO Verde para o trabalho dos produtores rurais do estado, tendo em vista a integração entre a tecnologia e a responsabilidade ambiental existente na cadeia produtiva do Amazonas.

“É uma inovação trazida pelo Banco da Amazônia neste protocolo de intenções com o Governo do Estado, porque é preciso preservar e conservar a nossa floresta, mas também é importante garantir dignidade para o povo que vive na floresta. Então essa nova carteira de crédito do Banco traz a responsabilidade dos nossos produtores com a questão ambiental, porque já temos tecnologia suficiente como a integração lavoura/pecuária/floresta para justamente garantir dignidade, produção, e conciliar isso tudo, todo esse desenvolvimento, com os nossos recursos ambientais”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print