Governo do Amazonas, por meio do Cetam, vai ampliar oferta de vagas de educação profissional em 64%

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print
Fotos: Erick Bitencourt

O ano atípico, com uma pandemia que mudou a rotina do mundo, interrompeu aulas e adiou o retorno de atividades presenciais, não desanimou a nova gestão do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). O objetivo da instituição para os próximos dois anos é ampliar em 64% o número de vagas.

De acordo com o diretor-presidente do Cetam, professor doutor José Augusto de Melo Neto, até 2022 serão ofertadas 300 mil vagas, divididas entre cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) e cursos técnicos de nível médio (Fortec) a todos os 62 municípios do estado.

“Precisamos da captação de mais recursos voltados à educação profissional. Isso será possível com as parcerias, aportes de PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) e captação de mais projetos para o Cetam.”

O professor reforça que a ideia é atender às diretrizes de governo, traçando metas e trabalhando para que a educação profissional continue a crescer na capital e interior do estado.

“Vamos garantir, por meio do realinhamento das ações, o que estava previsto no plano do governador Wilson Lima, que é a expansão de atendimento do Cetam, com foco na empregabilidade.”

Segundo o diretor-presidente, o catálogo de cursos profissionais do Cetam está sendo atualizado, ampliado e deverá chegar a 500 cursos em 2021.

“Isso significa 20% de crescimento. Para viabilizar esta ação de forma efetiva, estamos levantando as demandas com consulta pública e parcerias interinstitucionais”, revela, informando que o Cetam irá se aproximar das novas matrizes econômicas de cada região para fomentar o acesso ao emprego e renda por meio da qualificação profissional.

Retorno das aulas

Quanto à retomada das aulas presenciais nos municípios do interior do estado, José Augusto informa que depende da autorização do órgão sanitário responsável, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM). Ele ressalta que o retorno da educação básica e superior vem sendo alinhado com a Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA), parceiras do Cetam.

“Também levamos em consideração a realidade das prefeituras municipais. Nossos gerentes acadêmicos e representantes de cada município estão replanejando as ações. Nenhum curso será cancelado, mas o retorno vai ser realizado de forma segura e responsável.”

Na capital, as aulas foram retomadas dia 3 de agosto. De lá para cá, o Cetam vem adotando as medidas previstas no Protocolo de Prevenção e Proteção à Covid-19, garante o diretor-presidente.

“Além disso, realizamos a testagem em todos os servidores da autarquia e aumentamos o controle na entrada das unidades. Ainda não foi possível retomar os cursos na área de estética, pois estamos aguardando uma norma específica da FVS-AM.”

Cetam na zona norte

O Cetam está sob a direção de José Augusto desde o dia 21 de setembro deste ano. Ele acredita que a educação profissional pode e deve atuar na linha de frente das respostas à crise causada pela Covid-19.

“Com a retomada das atividades e, consequentemente, o período de recuperação das atividades econômicas, a demanda dos cursos técnicos e de qualificação deve aumentar.”

Conforme o professor, o Cetam está enfrentando esses novos desafios de forma flexível para atender as habilidades técnicas necessárias aos alunos.

“Precisamos de infraestrutura técnica, mas, sobretudo, de pessoal qualificado. A educação profissional não pode parar”, informa, revelando que até março de 2021, moradores da zona Norte de Manaus ganharão sua primeira escola de educação profissional.

O Governo do Amazonas está concluindo a nova unidade do Cetam, localizada no conjunto Galileia, bairro Nova Cidade. Construída em uma área de 3.555,12m², a escola terá capacidade de atendimento de até 4.560 vagas/ano. O espaço conta com 12 laboratórios técnicos, sendo quatro voltados a oficinas de artesanato, dois para aulas de culinária, quatro para oficinas de imagem pessoal e dois para cursos de corte e costura.

A escola terá um salão de beleza para atividades práticas das turmas dos cursos de Cabeleireiro, Corte e Escova de Cabelo, Colorimetria, Barbearia, Depilação, Design de Sobrancelhas, entre outros. Além dos cursos sociais, haverá três laboratórios de Informática e biblioteca.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print