Na pandemia, MEC registra o menor gasto para educação básica da década

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

A ONG Todos pela Educação apresentou um relatório sobre ensino no Brasil e destacou que o Ministério da Educação fez o menor investimento da década em educação básica. Os dados foram sustentados pelo 6º Relatório Bimestral da Execução Orçamentária do MEC, conforme a reportagem do UOL.

A educação básica fechou o ano com R$ 42,8 bilhões de investimentos. É 10,2% menos do que em 2019. Efetivamente o valor pago foi de R$ 32,5 bilhões. O MEC tinha transferido e executado mais recursos na educação básica desde 2010.

A conclusão do relatório admite que o investimento foi atrapalhado pela pandemia de covid-19, mas critica a falta de “governança nacional” na crise.

“Não houve avanços significativos na coordenação nacional e no redesenho da governança entre União, Estados e Municípios: As discussões de regulamentação do SNE (Sistema Nacional de Educação) não avançaram, tampouco houve aprimoramentos na gestão do MEC como órgão responsável pela coordenação nacional da Educação”, concluiu o relatório.

Outras críticas são feitas por causa da desaceleração de importantes agendas, como a implementação da Base Nacional Comum Curricular do Novo Ensino Médio, assim como medidas voltadas para a profissionalização da carreira e da formação docente.

“A pandemia evidenciou dificuldade de resposta das redes de ensino em um cenário de crise, mas escancarou a incapacidade de liderança do MEC, comprometendo os avanços que vínhamos observando em agendas prioritárias para a garantia de um ensino de qualidade para todos os alunos brasileiros”, concluiu Priscila Cruz, presidente-executiva do Todos Pela Educação.

Avanços

Priscila Cruz elogiou o protagonismo de algumas gestões municipais e estaduais, e também do Congresso Nacional. Segundo ela, estes foram os responsáveis para que não vivêssemos um cenário de estagnação e retrocessos completo.

O relatório apontou que foi um avanço a aprovação do Novo Fundeb, principal mecanismo de financiamento da Educação, “graças à ação de entidades representativas de diversos segmentos da educação e do Congresso Nacional”.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print