Prefeitura amplia permanência do Zona Azul durante a realização do Enem em Manaus

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

Para garantir mais comodidade aos candidatos das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontecem nos dias 23 e 24/2, o prefeito David Almeida determinou a ampliação do tempo de permanência de veículos no estacionamento Zona Azul, de 3 para 6 horas na mesma vaga. O decreto 5.026, que determina a medida, foi assinado pelo prefeito em exercício Marcos Rotta, nesta terça-feira, 23

“A prefeitura está comprometida em garantir um exame tranquilo e seguro para os candidatos. Na segunda-feira, o prefeito David Almeida suspendeu o funcionamento das atividades escolares nas unidades educacionais do município, por causa da situação que a capital enfrenta com a pandemia. Ampliar o tempo de permanência do Zona Azul com certeza vai garantir uma prova mais tranquila para todos”, afirmou Marcos Rotta.

De acordo com o decreto, cabe à Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman), em conjunto com o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), organizar, gerenciar e fiscalizar o acompanhamento do cumprimento do decreto por parte da empresa prestadora do serviço.

“Nosso compromisso é garantir que nenhum candidato seja prejudicado por qualquer tipo de dificuldade relativa a vagas de estacionamento nas áreas onde o Zona Azul funciona, na área central de Manaus”, disse o diretor-presidente do IMMU, Paulo Henrique Martins.

Medidas

 

Devido à realização das provas do Enem, o prefeito de Manaus, David Almeida, suspendeu por meio de decreto, nesta segunda-feira, 22/2, o funcionamento das atividades escolares nas unidades educacionais da Secretaria Municipal de Educação (Semed), nos dias 23 e 24 de fevereiro.

O prefeito considerou a situação de emergência de Manaus, que ainda demanda o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública, a fim de evitar a disseminação do novo coronavírus na capital.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print