Presidente da federação de natação do AM desiste de reeleição após ser denunciado por oito ex-nadadoras

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

Nesta quarta-feira, dia 22, a Confederação de Desportos Aquáticos (CBDA) recebeu uma nota oficial do presidente da Federação Amazonense de Desportos Aquáticos (Fada), Vitor Hugo Lopes Façanha, conhecimento como ‘Botinho’, comunicando a sua diretoria sobre a desistência à reeleição para o quadriênio 2021/2024 à frente da instituição.

Botinho era o único candidato na disputa, que aconteceria no dia 29 de dezembro. Ele abandona a disputa após ser divulgado o relato de oito ex-nadadoras que o acusam de abuso sexual, entre os anos de 2008 e 2017, quando tinham entre 11 e 17 anos de idade. O ex-técnico nega as acusações.

Ex-nadadoras da Fada denunciaram abusos cometidos pelo técnico no período em que elas eram treinadas por ele no Colégio La Salle e na Vila Olímpica

A CBDA explica que as federações regionais atuam de forma independente na forma da constituição da Lei 9.615, a Lei Pelé, e que o impedimento legal para participação se dá apenas após o trânsito em julgado da sentença condenatória — ou seja, quando não cabem mais recursos.

O órgão esclarece ainda que, mesmo antes do comunicado divulgado pela Fada, a entidade já analisava propor uma recomendação de não participação na eleição, pois entende que tais fatos devem ser apurados com “extremo cuidado”. O Conselho de Ética da CBDA tem reunião hoje sobre o assunto.

Um novo edital para inscrição de novas chapas para as eleições da federação será realizado com data ainda a ser definida. A CNN conversou com quatro das oito jovens que dizem terem sido abusadas por Vitor Hugo. Elas se mostraram aliviadas e esperançosas com a notícia. “Saber que ele pode ficar distante de outras atletas fez me sentir melhor”, disse uma delas.

Procurado pela reportagem, Façanha ainda não respondeu sobre o motivo da desistência da candidatura.

Ex-técnico será investigado

Na última segunda-feira, dia 21, o Ministério Público do Amazonas informou que será instaurada uma notícia de fato — uma espécie de procedimento administrativo — para apurar os relatos das ex-atletas de Botinho.  O pedido de investigação foi encaminhado à Coordenação do órgão, na capital manaura, e será distribuído a uma das Promotorias de Justiça especializadas.

Segundo o promotor de Justiça Rodrigo Leão, a investigação deve correr sob segredo de Justiça por se tratarem de denúncias muito graves que envolvem vítimas em situação de vulnerabilidade, tanto pela faixa etária quanto pela condição socioeconômica.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print