Toffoli diz que inquérito das fake news identificou financiamento internacional em atos antidemocráticos 

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli afirmou que o inquérito das fake news, que tem como relator o ministro Alexandre de Moraes, identificou “financiamento internacional a atores que usam as redes sociais para fazer campanhas contra as instituições brasileiras, em especial o STF e o Congresso Nacional”. A fala foi feita durante entrevista do magistrado ao programa Canal Livre, da TV Bandeirantes, exibido na madrugada de hoje (22). Segundo o ministro, a investigação vai dar continuidade ao “aprofundamento desses dados”, sob comando do ministro Alexandre, conforme a matéria do Metro 1.

Na entrevista, Toffoli classificou a descoberta como “gravíssima”. Para ele, a história do Brasil já mostrou que financiamentos a grupos radicais, “seja de extrema direita ou seja de extrema esquerda, vem para criar o caos e desestabilizar a democracia em nosso País”. O ministrou acrescentou que não poderia das mais detalhes sobre a investigação.

“Não é um grupo de malucos. Há uma organização por trás disso, que ataca inclusive a imprensa tradicional e séria. Temos que estar atentos e o inquérito está em excelentes mãos”, ressaltou.

O inquérito sobre as fake news foi aberto em 2019 como uma resposta do STF às crescentes críticas e ataques sofridos nas redes sociais. Desde o início, porém, a apuração foi contestada pelo meio jurídico e político por ter sido instaurada de ofício por Toffoli, então presidente da corte, sem provocação da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on email
Share on print